Your Country

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod


Gabriella Gonçalves

School

Colégio Estadual Profª Margarida de Barros Lisboa Londrina

Country

Portugal

Empirismo

Work Summary

Neste trabalho busquei apresentar a concepção e uma breve análise do empirismo onde explicarei o movimento filosófico que acredita nas experiências humanas como únicas responsáveis pela formação das ideias e conceitos existentes no mundo.


INTRODUÇÃO

Neste trabalho busquei apresentar a concepção e uma breve análise do empirismo onde explicarei o movimento filosófico que acredita nas experiências humanas como únicas responsáveis pela formação das ideias e conceitos existentes no mundo.

Apresentarei as ideias dos dois principais teóricos do empirismo: o filósofo inglês John Locke (1632 – 1704), que afirma que as pessoas nada conhecem, como uma folha em branco, que o conhecimento é limitado às experiências vivenciadas, e as aprendizagens se dão por meio de tentativas e erros.

E o teórico empirista escocês David Hume (1711-1776), que contribuiu com a epistemologia ao discutir o princípio da causalidade. Segundo ele, não existe conexão causal, e sim uma sequência temporal de eventos, que pode ser observada.

DESENVOLVIMENTO

Etimologicamente, este termo possui uma dupla origem. Pode ter surgido a partir do latim EMPIRICUS, “médico com experiência”, e também de uma expressão grega EMPEIRIKÓS, “experiente”, de EMPEIRIA, “experiência”. Originalmente denominava uma escola da medicina que privilegiava o aprendizado mais pela experiência do que pela teoria.

O empirismo consiste em uma teoria que indica que todo o conhecimento é um fruto da experiência, e por isso, uma consequência dos sentidos. A experiência estabelece o valor, a origem e os limites do conhecimento. Esse movimento filosófico causou uma revolução na ciência, pois graças à valorização das experiências e do conhecimento científico, o homem passou a buscar resultados práticos, buscando o domínio da natureza. A partir do empirismo surgiu a metodologia científica.

John Locke (1632- 1704) foi um importante filósofo inglês. É considerado um dos líderes da doutrina filosófica conhecida como empirismo. Sua filosofia baseia-se no conceito da “tabula rasa”, termo que ele formulou para referir-se ao fato de que as pessoas são como uma “folha em branco”, e que o conhecimento que elas adquirem acerca da realidade, provém exclusivamente de experiências vivenciadas, que resultam da observação dos dados sensoriais.

David Hume (1711- 1776) foi filósofo, historiador, sociólogo e economista escocês do período do Iluminismo. É considerado um dos pais do empirismo.

Hume considera que todo o conhecimento tem origem na experiência, sendo os dados ou impressões sensíveis as suas unidades básicas. Hume defende que existem impressões e ideias que se distinguem quanto ao grau de força e vivacidade. Assim, as impressões são percepções vivas e mais fortes do que as ideias que são percepções fracas ou menos vivas.

Hume, como empirista, rejeita a existência das ideias inatas porque as ideias sucedem-se às impressões.

O empirismo causou uma grande revolução na ciência, pois graças à valorização das experiências e do conhecimento científico, o homem passou a buscar resultados práticos, buscando o domínio da natureza. A partir do empirismo surgiu a metodologia científica.

CONCLUSÃO

BIBLIOGRAFIA



96 Visualizações 28/06/2016