O teu país

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod


Sara Marques

Escola

Escola não identificada

País

Portugal

Memorial do Convento (Ficha de Questões)

Resumo do trabalho

Ficha de questões sobre a obra "Memorial do Convento" de José Saramago, realizado no âmbito da disciplina de Português (12º ano).


1. Na ação da obra distinguem-se três histórias. Identifique-as.

Em memorial do convento podemos destacar três núcleos narrativos: a construção do convento de Mafra, a construção da passarola e a história de Baltasar e Blimunda.

2. A construção do Convento de Mafra teve origem numa promessa. Refira-a.

A construção do convento de Mafra teve origem na promessa que se a rainha desse um filho ao rei este levantaria um convento de Franciscanos em Mafra.

3. Indique dois traços caracterizados de D. João V, Ana de Áustria e de D. Francisco.

João V - Autoritário e infantil (quer que a inauguração do convento seja no seu dia de anos)

Ana de Áustria – Fútil e superficial.

Francisco – Ganancioso

4. Baltazar estabelece a relação entre as narrativas da construção do convento e da passarola. De que modo?

Baltasar estabelece a ligação entre os três núcleos da narrativa porque participa nas duas. No convento para construir o sonho do rei, na passarola para construir o seu sonho. Numa como construtor, e noutra como ajudante.

5. Considere as personagens Baltasar Sete-Sóis e Bartolomeu Lourenço.

5.1. Quando se conhecem?

Baltasar Sete-Sóis e Bartolomeu Lourenço conheceram-se no auto-de-fé num Domingo, no Rossio, em que a mãe de Blimunda foi condenada.

5.2. Que tipo de relação se estabelece entre os dois?

Tornam-se amigos cúmplices, partilham as mesmas ideias e sonhos (a construção da passarola) confidenciais.

6. Caracterize Blimunda.

Madura, responsável, corajosa, persistente, fiel ao companheiro, espiritual, misteriosa, genuína, verdadeira, vê por dentro das pessoas.

6.1. Em que se distingue das outras pessoas?

Blimunda distingue-se das outras pessoas porque tem a capacidade de ver por dentro das pessoas quando em jejum.

6.2. Como se torna útil a Bartolomeu Lourenço?

Torna-se útil a Bartolomeu Lourenço porque consegue recolher “vontades” necessárias ao voo da passarola.

7. Interprete o fim trágico das personagens ligadas à passarola.

Ao contrário de Blimunda, Baltasar e o padre Bartolomeu Lourenço acabam por morrer. Blimunda na obra não morre porque é espiritual. Baltasar morre queimado num auto-de-fé. O padre morre louco perseguido pela inquisição. Scarlatti morre metaforicamente.

8. O sonho é uma linha de força da obra. Fundamente a afirmação.

O sonho é uma linha de força da obra porque para realizarmos um sonho necessitamos de força e de vontade. Na obra o sonho da construção da passarola é uma vontade comum em que as personagens envolvidas lutam todas pelo mesmo fim. A vontade do ser humano tem grande importância. A partir da leitura da obra podemos verificar que o convento é parte do sonho dos franciscanos. O sonho de 1 padre é o sonho de todos, o sonho é passado para Blimunda e Baltasar. Os desígnios do padre passam a ser os desígnios dos 3. Querem passar os limites e voar.

9. Distinga personagens referências de personagens ficcionais.

Em memorial do convento existe 2 tipos de personagem: Personagens ficcionais: Julião Mau Tempo, João Elvas, Baltasar, Blimunda, etc. inventadas pelo autor. D. João V, D. Ana de Áustria, Scarlatti, e o Padre Bartolomeu são personagens que existiram na realidade. São todas as personagens que estão referenciadas na história.

10. A construção do Convento assenta no sacrifício de heróis anónimos. Caracterize-os. (caderno)

10.1. Registe um acontecimento marcante na vida desses trabalhadores.

O transporte da pedra, desde Pêro Pinheiro até Mafra.

Quando Francisco Marques é esmagado.

O facto de os homens terem sido obrigados a irem para trabalhar no convento.

11. Apresente o ponto de vista do narrador sobre a construção do convento de Mafra.

Era um capricho do Rei, era absurdo gastar tanto dinheiro na construção do convento.

12. Os espaços Mafra e Lisboa são privilegiados na obra. Que imagem física e social nos é dada da capital?

Lisboa é uma cidade suja, levando ao aparecimento de doenças como a peste.

Física - Local onde tudo é imundo, povoado por gente ignorante. Por outro lado gente fútil, sem princípios (clero).

Social - Existia a extrema miséria por um lado (povo) e a estrema riqueza por outro (realeza).

13. O clero é observado de forma crítica e irónica. Justifique, recorrendo a exemplos concretos.

O clero é uma classe enganadora e pecadora, não cumpre as leis da igreja, exemplo dado é quando o padre fica nu na varanda da casa de uma mulher e depois anda nu pelas ruas de Lisboa ou quando o padre tenta violar Blimunda.

14. Delimite cronologicamente a ação principal.

A ação começa em 1711. Em 1711 foi colocada a primeira pedra. Em 1790 é o casamento arranjado de D. José com Mariana Vitória e de Maria Barbara com D. Fernando. O convento de Mafra é construído a 22 de Outubro de 1930, dia de anos do Rei. Sendo a acção da construção do convento, começada a 1711 e acabada a 1730.



599 Visualizações 29/06/2016