O teu país

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod


Micaela Oliveira

Escola

Externato Dom Fuas Roupinho

Basquetebol

Todos os trabalhos publicados foram gentilmente enviados por estudantes – se também quiseres contribuir para apoiar o nosso portal faz como o(a) Micaela Oliveira e envia também os teus trabalhos, resumos e apontamentos para o nosso mail: geral@notapositiva.com.

Resumo do trabalho

Trabalho escolar sobre o Basquetebol, realizado no âmbito da disciplina de Educação Física (11º ano de escolaridade).


Introdução

Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de Educação Física, a pedido do professor.

Como tema de trabalho, é apresentado o Basquetebol, uma vez que esta modalidade foi leccionada no 1ºPeríodo, no qual me encontrava impossibilitada de praticar exercício físico. Assim sendo, a avaliação relativa ao desporto em questão teve de ser feita através de um trabalho escrito, onde consta a parte teórica da modalidade desportiva. Como trabalho propriamente dito, apresentarei a origem deste desporto, o seu conceito próprio, a posição-base para a sua prática, o terreno de jogo, um pequeno resumo do seu regulamento, bem como os tipos de drible e passe, entre outros.

Espero não só que o trabalho concretizado seja informativo, como também que esta prática seja exibida de forma explícita e tratada da melhor forma possível.

O que é o Basquetebol

O basquetebol é um dos desportos colectivos mais populares do mundo, disputado entre duas equipas de cinco jogadores, cujo objectivo é introduzir a bola no cesto da equipa adversária (marcando pontos) e, simultaneamente, evitar que esta seja introduzida no próprio cesto. No fim, a equipa que obtiver mais pontos, vence o jogo. Este desporto pode ser praticado dentro de um ginásio ou pavilhão bem como ao ar livre. É considerado um desporto olímpico desde 1936. A competição deste jogo é dirigida por três árbitros, que têm com função assegurarem o cumprimento das regras do jogo; um marcador e o seu auxiliar, que têm como funções o preenchimento do boletim de jogo, onde registam os pontos marcados, as faltas pessoais e técnicas, etc; o cronometrista, que verifica o tempo de jogo e os descontos de tempo; um operador de vinte e quatro segundos, que controla os 24 segundos que cada equipa dispõe para a posse ininterrupta da bola e duas equipas, que são compostas por 5 elementos cada (em jogo), mais 7 suplentes.

Origem do Basquetebol

O basquetebol foi inventado por um professor de Educação Física canadiano, Dr. James Naismith. Verificando que durante o tempo chuvoso de Inverno os seus alunos começavam a mostrar algum desinteresse pelas aulas de ginástica, que na altura era a única actividade que se podia praticar dentro do ginásio, procurou criar um jogo que os motivasse e pudesse ser praticado num local fechado. James Naismith descartou imediatamente a ideia de um jogo que utilizasse os pés ou com muito contacto físico, pois poderia tornar-se muito violento, devido às características de um ginásio (local fechado e com piso de madeira). Logo, escreveu as treze regras básicas do jogo e pendurou um cesto de pêssegos em cada extremidade do ginásio, a uma altura equivalente a 3,05 metros, altura que se mantém até hoje. No entanto, como os cestos tinham fundo, sempre que encestavam tinham que subir uma escada para recuperarem a bola. O ritmo era por isso constantemente cortado. Imaginaram então um mecanismo controlado por um longo fio, que, ao ser puxado, vertia o fundo do cesto e a bola caía no chão. Só mais tarde é que o fundo foi retirado, dando uma maior dinâmica à partida. Inicialmente, este jogo era executado com uma bola de futebol. Os cestos de pêssegos foram utilizados até 1906, quando foram finalmente substituídos por aros de metal com encosto.

Posição-Base

Em todos os desportos existe uma posição básica e o basquetebol não é excepção. A posição-base permite executar qualquer movimento, em qualquer direcção e pode ser defensiva, se se está a defender, ou ofensiva, se se está na posse da bola. Tanto na posição-base defensiva como na ofensiva deve-se seguir as seguintes normas:

  • Colocar os pés afastados, mantendo-os à largura dos ombros;
  • Distribuir o peso do corpo de igual forma pelos dois apoios;
  • Flectir ligeiramente as pernas;
  • Manter a cabeça levantada para se poder observar os colegas e os adversários.

No entanto, na posição-base defensiva deve-se:

  • Inclinar ligeiramente o tronco para a frente;
  • Ter os braços orientados para cima e para diante, com as palmas das mãos viradas para a frente e os dedos afastados, para o controlo do adversário.

E na posição-base ofensiva, conhecida também como posição de tripla ameaça, uma vez que nesta se pode lançar a bola, driblá-la ou lançá-la, deve-se:

  • Fazer a pega da bola com ambas as mãos;
  • Colocar a bola junto ao abdómen, de modo a protegê-la, colocando cada um dos braços por cima e por baixo da mesma.

Terreno de Jogo

O basquetebol é jogado numa superfície rectangular, coberta ou ao ar livre, cujas medidas são 28 metros de comprimento e 15 metros de largura. Se o campo de basquetebol for coberto, a altura mínima do tecto deverá ser de 7 metros.

A superfície do campo costuma ser de madeira, cimento, etc., tendo em conta que as linhas limites laterais e finais devem ter todos os seus pontos a pelo menos 2 metros dos espectadores ou de outro qualquer obstáculo presente no campo.

As linhas que limitam o campo devem estar bem definidas, de modo a que não exista nenhuma dificuldade para as ver, estando proibida a existência de qualquer obstáculo a uma distância menor de 2 metros. Os espectadores devem-se encontrar a uma distância mínima de 2 metros em relação a qualquer linha limite. As linhas que determinam o comprimento do terreno denominam-se laterais e as que delimitam a largura, finais. Qualquer linha do terreno de jogo possui uma largura de 5cm.

Linhas de sinalização:

  1. Círculo central. Situa-se no centro do campo e tem um diâmetro de 3.6 metros.
  2. A linha central. É a que divide o campo em duas partes iguais. Esta linha central é paralela às linhas finais e estende-se de uma linha lateral até à outra.
  3. As linhas de lance livre. Também são paralelas às linhas finais e devem distar 5.80 metros da linha final. Mede 3.60 metros de comprimento e o seu ponto central está situado na junção dos pontos médios das duas linhas finais. Encontra-se a uma distância de 4.60metros da tabela. Os espaços que devem ocupar os jogadores ao longo das áreas de lance livre marcam-se da seguinte forma: a primeira linha deve ser marcada a 1.75m da linha final medida ao longo da linha que limita a área restritiva. O primeiro espaço terá 85cm de largura e termina no início da zona neutra. A zona neutra será de 40 cm de largura e marcada a cheio com a mesma cor das outras linhas. O segundo espaço adjacente à zona neutra tem também 85cm de largura. O terceiro espaço adjacente do segundo tem a mesma largura, ou seja 85cm. Todas as linhas utilizadas na marcação destes espaços terão 10cm de comprimento, e serão perpendiculares às linhas que indicam os espaços das áreas de lance livre.
  4. As linhas da área restritiva. São as que delimitam a zona na que o jogador atacante não pode permanecer mais que três segundos seguidos. São duas linhas que vão desde o extremo da área de lance livre até à linha final, a três metros do ponto central e que, juntamente com a linha final, formam a área restritiva.
  5. As linhas de três pontos delimitam as áreas do cesto de campo de três pontos. A área do cesto de campo de três pontos duma equipa será a área total do pavimento do campo de jogo, excepto a área limitada pelo cesto do adversário e inclui: duas linhas paralelas que se prolongam da linha final, distantes 6.25m do ponto no solo directamente na perpendicular do centro do cesto adversário, cuja medida é 1.575m, e um semicírculo de 6.25m de raio, medido do bordo exterior e com o centro no mesmo ponto descrito acima, que intercepta as linhas paralelas.

Regulamento

  • Início do jogo – O jogo começa com o lançamento da bola ao ar, pelo árbitro, entre dois jogadores adversários no círculo central, cuja só pode ser tocada quando atingir o ponto mais alto.
  • Duração do jogo – Quatro períodos de 10 minutos de tempo útil cada, com um intervalo de 15 minutos entre o segundo e o terceiro período, e com intervalos de dois minutos entre o primeiro e o segundo períodos e entre o terceiro e o quarto períodos. O cronómetro só avança quando a bola se encontra em jogo, isto é, sempre que o árbitro interrompe o jogo, o tempo é parado de imediato.
  • Reposição da bola em jogo - Depois da marcação de uma falta, o jogo recomeça por um lançamento fora das linhas laterais, excepto no caso de lances livres. Após a marcação de ponto, o jogo prossegue com um passe realizado atrás da linha do campo da equipa que defende.
  • Como jogar a bola - A bola é sempre jogada com as mãos. Não é permitido andar com a bola nas mãos ou provocar o contacto da bola com os pés ou pernas.
  • Pontuação - Um cesto é válido quando a bola entra no cesto, por cima, passa através da rede ou que fique lá presa. Um cesto de campo vale 2 pontos, a não ser que tenha sido conseguido para além da linha dos 3 pontos, situada a 6,15m (valendo, portanto, 3 pontos); um cesto de lance livre vale 1 ponto.
  • Empate – Os jogos não podem terminar empatados. O desempate processa-se através de períodos suplementares de 5 minutos.
  • Resultado – O jogo é ganho pela equipa que marcar o maior número de pontos no tempo regulamentar.
  • Lançamento livre – Na execução, os vários jogadores, ocupam os respectivos espaços ao longo da linha de marcação, e não podem deixar os seus lugares até que a bola saia das mãos do executante do lance livre; não podem tocar a bola na sua trajectória para o cesto, até que esta toque no aro.
  • Penalizações de faltas pessoais – Se a falta for cometida sobre um jogador que não está em acto de lançamento, a falta será cobrada por forma de uma reposição de bola lateral, desde que a equipa não tenha cometido mais do que 4 faltas colectivas durante o período, caso contrário é concedido ao jogador que sofreu a falta o direito a dois lances livres. Se a falta for cometida sobre um jogador no acto de lançamento, o cesto conta e deve, ainda, ser concedido um lance livre. No caso do lançamento não tiver resultado cesto, o lançador irá executar o(s) lance(s) livres correspondentes às penalidades (2 ou 3 lances livres, conforme se trate de uma tentativa de lançamento de 2 ou 3 pontos).
  • Regra dos 5 segundos - Cada jogador dispõe de 5 segundos para repor a bola em jogo.
  • Regra dos 3 segundos - Um jogador não pode permanecer mais de 3 segundos dentro da área restritiva do adversário, enquanto a sua equipa esteja na posse da bola.
  • Regra dos 8 segundos - Quando uma equipa ganha a posse da bola na sua zona de defesa, deve, dentro de 8 segundos, fazer passar a bola para a zona de ataque.
  • Regra dos 24 segundos - Quando uma equipa está na posse da bola, dispõe de 24 segundos para a lançar ao cesto do adversário.
  • Bola presa – Considera-se bola presa quando dois ou mais adversários tiverem uma ou ambas as mãos sobre a bola, ficando esta presa. A posse de bola será da equipa que tiver a seta a seu favor.
  • Transição de campo – Um jogador cuja equipa está na posse de bola, na sua zona de ataque, não pode provocar a ida da bola para a sua zona de defesa.
  • Dribles - Quando se dribla pode-se executar o número de passos que pretender. O jogador não pode bater a bola com as duas mãos simultaneamente, nem efectuar dois dribles consecutivos (bater a bola, agarrá-la com as duas mãos e voltar a batê-la).
  • Passos – O jogador não pode executar mais de dois passos com a bola na mão.
  • Faltas pessoais – É uma falta que envolve contacto com o adversário, e que consiste nos seguintes parâmetros: Obstrução, Carregar, Marcar pela retaguarda, Deter, Segurar, Uso ilegal das mãos, Empurrar.
  • Falta anti-desportiva – Falta pessoal que, no entender do árbitro, foi cometida intencionalmente, com objectivo de prejudicar a equipa adversária.
  • Falta técnica – Falta cometida por um jogador sem envolver contacto pessoal com o adversário, como, por exemplo, contestação das decisões do árbitro, usando gestos ou atitudes ofensivas, ou mesmo quando não levantar imediatamente o braço quando solicitado pelo árbitro, após lhe ser assinalada falta.
  • Falta da equipa – Se uma equipa cometer num período, um total de cinco faltas, para todas as outras faltas pessoais sofrerá a penalização de dois lançamentos livres.
  • Número de faltas – Um jogador que cometer cinco faltas está desqualificado da partida.

Tipos de Passe

O passe tem como objectivo a colocação da bola num companheiro que se encontre em melhor posição, para a criação de situações de finalização ou para a progressão no terreno de jogo. Existem vários tipos de passe: peito, picado, por cima com 2 mãos, lateral com 1 mão, por trás das costas, etc.

Passe de Peito - Como o nome indica, a bola é arremessada à altura do peito, na direcção do alvo. Neste movimento os polegares é que darão a força ao passe e as palmas das mãos deverão apontar para fora no final do gesto técnico.

Técnicas determinantes:

  1. Colocar os cotovelos junto ao corpo;
  2. Avançar um dos apoios;
  3. Executar um movimento de repulsão com os braços;
  4. Executar rotação dos pulsos;
  5. Após passe, ficar com as palmas das mãos viradas para fora e os polegares a apontar para dentro e para baixo

Passe picado - Muito semelhante ao passe de peito, tendo em conta que o alvo inicial é o solo; O ressalto da bola terá um objectivo comum ao do passe de peito, isto é, o alvo é a mão do colega ou as zonas próximas do peito.

Técnicas determinantes:

  1. Colocar os cotovelos junto ao corpo;
  2. Avançar um dos apoios;
  3. Executar um movimento de repulsão com os braços;
  4. Executar rotação dos pulsos;
  5. Após passe, ficar com as palmas das mãos viradas para fora e os polegares a apontar para dentro e para baixo;
  6. Dirigir o passe para baixo (solo) e para a frente.

Passe de ombro - É utilizado nas situações que solicitam um passe comprido. É um tipo de passe com uma trajectória tensa (sem arco), e em direcção ao alvo.

Técnicas determinantes:

  1. Segurar a bola com as duas mãos e por cima do ombro;
  2. Colocar o cotovelo numa posição levantada;
  3. Avançar o corpo e a perna do lado da bola;
  4. Fazer a extensão do braço e finalizar o passe para as distâncias maiores.

Passe por cima da cabeça - É usado quando existe um adversário entre dois jogadores da mesma equipa.

Técnicas determinantes:

  1. Elevar os braços acima da cabeça;
  2. Avançar um dos apoios;
  3. Executar o passe com o movimento dos pulsos e dos dedos.

Tipos de Drible

  • Drible de progressão – Utilizado fundamentalmente para sair de uma zona congestionada e avançar no terreno.
  • Drible de protecção - Serve fundamentalmente para abrir linhas de passe e para garantir a posse de bola. É um tipo de drible, que face a uma maior proximidade dos defesas, o jogador tem de dar maior atenção à protecção da bola. "Roubar" a bola do adversário é considerado um drible de protecção.

Um jogador que esteja a driblar ou que receba um passe durante uma progressão (ou seja, a correr), pode executar dois passos e, a seguir, lançar ou passar a bola; isto não significa necessariamente dois passos (como é normalmente executado), pois o jogador pode, por exemplo, executar dois saltos consecutivos; desde que mantenha o mesmo ritmo.

Não é permitido: driblar a bola, pegá-la com as mãos e driblá-la novamente; driblar a bola com ambas as mãos; apoiar a bola por baixo, ou seja, conduzir a bola levando a mão sob a bola. Todos estes aspectos anteriormente referidos são considerados drible ilegal e tem a mesma penalidade da caminhada.

Posições de Jogo

São usadas, geralmente, no basquetebol, três posições: ala, pivô e armador. Na maioria das equipas são apresentados dois alas, dois pivôs e um armador.

  • O armador é como o cérebro da equipa. É o jogador que marca as jogadas e geralmente começa o jogo com a bola.
  • O jogador que joga como ala joga pelos cantos do campo. A função do ala muda bastante. Este pode ajudar o armador, ou marcar muitos cestos.
  • O pivô é, na maioria das vezes, o mais alto e/ou mais forte da equipa. Com a sua altura, consegue pegar com facilidade a bola, marca muitos cestos e na defesa ajuda muito com as intersecções de bola.

Curiosidades

  • O basquete é um dos desportos mais praticados no mundo, com cerca de 300 milhões de adeptos. Actualmente, mais de 170 países estão filiados à Federação Internacional de Basquete Amador (FIBA),a entidade máxima da modalidade.
  • O inventor da modalidade, James Naismith, recebeu uma homenagem em 1936, quando o basquetebol foi incluído no programa das Olimpíadas de Berlim, na Alemanha. Foi ele quem lançou para o alto a primeira bola da partida inaugural.
  • A liga de basquetebol mais famosa e disputada do mundo é a norte-americana (NBA). A sua importância para o universo do basquetebol é tão grande que a mesma adopta regras próprias para suas partidas.
  • Em Jogos Olímpicos, o predomínio é dos Estados Unidos. São 13 medalhas de ouro, contra duas da ex-União Soviética e apenas uma da antiga Jugoslávia. Entre as mulheres, as norte-americanas também levam vantagem com seis conquistas, contra duas da ex-União Soviética.
  • Actualmente, os países de mais tradição no basquetebol observam o crescimento de outras forças da modalidade. No feminino, a Austrália de Lauren Jackson sagrou-se campeã mundial em 2006. Já entre os homens, a Argentina e a Espanha destacam-se. Os sul-americanos, comandados por Manu Ginobili, venceram os Jogos Olímpicos 2004, enquanto que os europeus, liderados por Pau Gasol e Jorge Garbajosa, conquistaram o Mundial de 2006.

Conclusão

Este trabalho foi realizado com empenho e cumpriu as expectativas propostas à partida. Ao concretizá-lo, percebi que o Basquetebol é um dos desportos mais conhecidos e apreciados pelos adeptos, que pode mostrar alguma dificuldade de execução, devido ao número de regras aplicadas a ele, mas que também é uma modalidade interessante. Constatei também, no final de execução de alguns trabalhos relativos a modalidades específicas, que os desportos mais conhecidos do Mundo começam sempre com ideias do quotidiano e que, neste caso, era apenas para proteger os alunos do frio do Inverno, criando uma modalidade que fosse possível praticar num ambiente interno.

Posto isto, foi de tamanho interesse elaborar este trabalho, devido à pesquisa feita e ao nível de conhecimento adquirido.

Referências Bibliográficas

  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Basquetebol
  • http://efapoio.blogspot.com/
  • http://www.infopedia.pt/$basquetebol
  • http://www.fpb.pt/fpb_portal/start_fpb



62 Visualizações 18/08/2019