O teu país

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod


Joana Silva

Escola

Escola Secundária Dr. Manuel Gomes d'Almeida

Dietas e Borbulhas (Resumo do Livro)

Todos os trabalhos publicados foram gentilmente enviados por estudantes – se também quiseres contribuir para apoiar o nosso portal faz como o(a) Joana Silva e envia também os teus trabalhos, resumos e apontamentos para o nosso mail: geral@notapositiva.com.

Resumo do trabalho

Resumo e apresentação oral sobre o livro Dietas e Borbulhas, de Maria Maia Teresa Gonzales, realizado no âmbito da disciplina de Português (9º ano).


"...Sem querer, olhou-se ao espelho, um espelhão irritantemente grande, do qual andava a fugir havia um século. E, apesar de mais magra, lá estavam ainda os malditos «pneus» na cintura e nas coxas a rir-se para ela, a desafiá-la. Num segundo, vieram-lhe à cabeça mil e um anúncios de televisão onde apareciam pessoas gordíssimas, ridiculamente gordas a promover produtos para «perder peso sem esforço!»: comprimidos, cintas, bicicletas especiais, cremes, sabonetes de algas, chás dietéticos... Revia mentalmente cada um com enorme clareza. Sabia de cor o nome de quase todos. Ah! Tivesse ela dinheiro, bastante dinheiro e os estúpidos «pneus» veriam!..."

Depois deste excerto, torna-se mais fácil perceber o conteúdo do livro, não? :D

A personagem principal é Catarina, uma jovem que vê a sua vida a desmoronar-se quando começa a ficar com borbulhas, com os rapazes e a sua irmã a gozarem com ela e também por Sara, sua irmã, ser invejável aos olhos de Catarina e que todos cortejam. Ela tem vergonha de si mesma e inveja da irmã, Sara, que não é um “mostro”, como ela mesmo diz por esta ser elegante, bonita, ter os rapazes todos atrás dela parecendo-se com uma modelo.

Quando Catarina ligava a televisão, via apenas anúncios publicitários sobre métodos para emagrecer que faz com que as pessoas mais cheiinhas gastem muito dinheiro em produtos daqueles.

Catarina, sentindo-se muito infeliz, pratica a bulimia e chega a ser internada quando se vê já dependente disso. A mãe, que é enfermeira, arranja-lhe um psicólogo que a acompanha semanalmente. Ao início, ela não gosta nada mas acaba por desabafar com o médico e fala com ele sobre quase tudo: da doença do seu melhor amigo, das “guerras” que fazia com a irmã e da inveja que tinha por ela e das amigas, da vida em sua casa e como arranjou um dermatologista para o Afonso pois tinha a cara toda rebentada com borbulhas. Começou também a fumar porque ouviu que emagrecia e, depois das refeições, se achasse que tinha comido de mais, ia provocar o vómito e tomava comprimidos.

Depois de ser internada, e de saber que o seu melhor amigo Afonso estava muito doente com cancro na próstata (e chega mesmo a morrer), percebe que cada um é como é e decide aceitar-se tal como é conseguindo levar uma vida mais tranquila daí em diante. Mas a lição não serviu só para ela mas também para a irmã Sara, que passou a dar mais valor a Catarina e percebeu que o exterior não é tudo.

CONCLUSÃO:

Eu gostei muito deste livro por causa da aproximação que tem com a realidade e do modo como trata bastante e inevitavelmente a questão dos complexos dos jovens na fase da adolescência e das situações que eles têm de enfrentar diariamente.



29 Visualizações 12/08/2019