O teu país

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod


Gonçalo Castilho

Escola

Escola Frei Gonçalo de Azevedo

Hamlet, o Príncipe da Dinamarca

Todos os trabalhos publicados foram gentilmente enviados por estudantes – se também quiseres contribuir para apoiar o nosso portal faz como o(a) Gonçalo Castilho e envia também os teus trabalhos, resumos e apontamentos para o nosso mail: geral@notapositiva.com.

Resumo do trabalho

Trabalho escolar sobre «Hamlet, o príncipe da Dinamarca», realizado no âmbito da disciplina de Português (11º ano de escolaridade)...


Personagens:

- Cláudio, Rei da Dinamarca;

- Hamlet, filho do rei defunto rei e sobrinho do rei reinante;

- Polónio, camareiro-mor;

- Horácio, amigo de Hamlet;

- Laertes, filho de Polónio;

- Gertrudes, rainha da Dinamarca e mãe de Hamlet;

- Ofélia, filha de Polónio;

- Espectro do pai de Hamlet e antigo Rei da Dinamarca;

- Voltimando, Cortesão;

- Cornélio, Cortesão;

- Rosencrantz, Cortesão;

- Guildenstern, Cortesão;

- Osrico, Cortesão;

- Marcelo, Oficial;

- Bernardo, Oficial;

- Francisco, Oficial;

- Reinaldo, criado de Polónio;

- Fortinbras, príncipe da Noruega;

- Um sacerdote;

- Um gentil-homem;

- Comediantes;

- Dois coveiros;

- Um capitão;

- Embaixadores Ingleses;

- Nobres, Damas, Oficiais, Soldados, Marinheiros, Mensageiros, Comparsas.

A história interpretada no livro passa-se a seguir da morte do rei da Dinamarca, pai de Hamlet e da luta da Dinamarca na qual Hamlet desempenha um papel importante contra a Noruega na qual a Dinamarca sai vitoriosa. A cena passa-se em Elsenor.

Ato Primeiro:

Cena I:

Esplanada do castelo

Francisco está de guarda, Bernardo chega e este vai-se embora. Depois Marcelo e Horácio chegam para verem o espectro. Bernardo e Marcelo foram os primeiros a verem o espectro enquanto estavam de vigia. Horácio não acreditava. O espectro chega e depois vai-se embora. Os espectros antigamente significavam maus presságios.

Cena II:

Sala do Palácio

Fortinbras pretende atacar a Dinamarca e para evitar isso o rei da Dinamarca manda Cornélio e Voltimando para entregarem uma carta ao rei da Noruega, tio de Fortinbras.

Horácio, Marcelo e Bernardo contam a Hamlet que viram o espectro do seu pai.

Hamlet decide ficar de vigia para confirmar a aparição se a aparição do espectro é verdade.

Cena III:

Um quarto em casa de Polónio

Ofélia ama Hamlet e este faz-lhe promessas.

O pai de Ofélia, Polónio e o irmão de Ofélia, Laertes dizem a Ofélia para não acreditar no que Hamlet diz e para não perder tempo com ele pois ele só faz promessas que nunca irá cumprir.

Laertes sai em viagem para…

Cena IV:

 A esplanada

Hamlet vê o espectro do seu pai e vai atrás dele.

Cena V:

Uma parte mais solitária da esplanada

O espectro do pai de Hamlet conta a Hamlet que este fora assassinado pelo rei da Dinamarca atual, Cláudio, seu irmão para poder casar com a sua mãe e herdar o trono.

Hamlet jura vingança.

Horácio e Marcelo prometem não contar o que viram a ninguém.

Hamlet vai fingir estar louco como estratégia para descobrir se, de facto, o seu tio assassinou seu pai.

Ato Segundo

Cena I

Quarto em casa de Polónio

Polónio envia Reinaldo para descobrir como se porta o filho, Laertes.

Ofélia conta a Polónio como Hamlet foi ter com Ofélia para se animar e decide contar ao rei para os juntar.

Cena II

Quarto no Castelo

O rei pede a Rosencrantz e a Guildenstern para descobrirem o motivo do estado emocional de Hamlet ( a razão pela qual se estava a comportar de uma forma estranha).

Polónio conta ao rei que a razão do estado emocional de Hamlet é devido ao facto de este gostar a sua filha, Ofélia e planeiam um encontro entre os dois para provarem isto (ficaram de vigia durante o encontro para comprovarem que é verdade).

Hamlet é animado por comediantes.

Ato Terceiro

Cena I

Quarto no palácio

O rei e Polónio espiam às escondidas o encontro de Hamlet e Ofélia e Hamlet como se soubesse que o estavam a espiar, trata Ofélia de uma forma que ninguém se atreveria a dizer que Hamlet estava apaixonado por Ofélia.

Cena II

Sala no palácio

Hamlet arma uma cilada ao rei dizendo aos comediantes para interpretarem uma peça de teatro na qual era idêntica à situação que tinha ocorrido entre a morte do antigo rei e o rei atual.

Durante a peça o rei furioso interrompe esta e sai da sala.

Cena III

Uma camara no palácio

O rei ordena a Rosencrant e a Guildenstern para se prepararem para partirem para Inglaterra com Hamlet.

Hamlet vai ter com a rainha.

Cena IV

Um outro quarto no palácio

Polónio esconde-se atrás do reposteiro para ouvir a conversa entre Hamlet e a rainha para depois reportar ao rei.

A rainha e Hamlet discutem.

Hamlet ouve alguma coisa atrás do reposteiro e assustado, tira a espada e espeta no reposteiro matando Polónio o qual se escondia atras dele.

Ato Quarto

Cena I

Um compartimento no palácio

A rainha conta ao rei que Hamlet matou Polónio e escondeu o seu corpo.

Cena II

Um outro compartimento no palácio

Rosencrantz e Guildenstern levam Hamlet ao rei.

Cena III

Participantes

  • Rei
  • Séquito
  • Hamlet
  • Rosencrantz

Outro quarto no palácio

Hamlet diz ao rei onde está o corpo de Polónio. Hamlet vai para a Inglaterra. O rei envia uma carta para o rei da Inglaterra a ordenar para este matar Hamlet.

Cena IV

Participantes

Fortinbras

Hamlet

Capitão

Uma planície na Dinamarca

Fortinbras prepara-se para atacar a Dinamarca.

Cena V

Em Elsenor – Quarto no palácio

Ofélia vai falar com a rainha desgostada com a morte do pai.

Laertes entra à força no palácio e ordena ao rei que este diga quem matou Polónio, o seu pai e que se faça justiça.

Cena VI

Um outro quarto no palácio

Horácio recebe uma carta para ele e outra para o rei da Dinamarca de Hamlet.

Cena VII

Outro quarto no palácio

O rei recebe a carta de Hamlet dizendo que este iria chegar no dia seguinte.

Laertes e o rei planeiam uma forma para matar Hamlet.

Ofélia morre afogada e Laertes descobre que ela morreu.

Ato Quinto:

Cena I

Um cemitério

Os coveiros cavam 1 sepultura para Ofélia.

Hamlet vê a trazerem o corpo de Ofélia e quando Laertes vê Hamlet atira-se para cima deste com a intenção de o matar e Hamlet desafia-o.

Cena II

Um quarto no palácio

Hamlet conta a Horácio que encontrou a carta que o rei da Dinamarca escreveu anteriormente para o rei da Inglaterra e trocou o seu conteúdo dizendo agora que a Inglaterra tinha de matar quem lhe fosse entregar a carta ou seja Guilderstern e Rosencrantz.

Osrico convida o príncipe Hamlet a participar de um duelo de espadas com Laertes na sucessão da aposta que o rei da Dinamarca fez com Laertes no qual ganha a aposta de acordo de quem vencer na luta entre Laertes e Hamlet.

Hamlet aceita duelar com Laertes.

Hamlet e Laertes morrem na luta por causa do veneno nas espadas e o rei e a rainha morrem por causa do veneno que morreram.

No final o embaixador da Inglaterra chega a dizer que fez o que a carta mandava e Fortinbras a reclamar Dinamarca como o seu território.

Horácio conta a história de Hamlet.

Citações:

Hamlet

Meu Deus! Eu poderia estar metido numa casca de noz e considerar-me rei dum imenso território, se não tivesse sonhos maus.

Guildenstern

Mas esses sonhos são a ambição, porque a verdadeira substância do ambicioso é a de ser simplesmente a sombra dum sonho.

Hamlet

Um sonho não é mais do que uma sombra.

Rosencrantz

Nesse caso, os nossos mendigos são corpos, e os nossos monarcas e os nossos heróis, com o seu prolongamento de glória, são apenas as sombras dos mendigos. Vamos à corte? Francamente estou incapaz de raciocinar.”

Baptista

…Quando o amor é forte, as mais fracas suspeitas transformam-se em receios; e onde os pequenos receios se transformem em grandes temores, aí floresce o amor.”

Gonzaga

…O homem poderoso, decaindo, vê fugir-lhe o amigo íntimo. O pobre, pelo contrário, se chega a enriquecer, vê os seus inimigos transformarem-se em amigos. Até hoje o amor seguiu sempre a fortuna; porque aquele que está ao abrigo da necessidade não lhe faltam amigos; mas que o que decaiu ponha à prova um desses amigos, e fará dele imediatamente um inimigo.”

Eu gosto desta citação porque é incrível que uma situação que acontecia à tantos anos ainda aconteça nos dias de hoje.

1º Coveiro

Quem edifica mais solidamente do que um pedreiro, um construtor de navios ou um carpinteiro?

1º Coveiro

…é o coveiro – porque as casas que ele constrói duram até ao dia de juízo.”

Caracterização do personagem principal (Hamlet):

  • Inteligente;
  • Apaixonado;
  • Cobarde;
  • Honesto;
  • Orgulhoso;
  • Vingativo;
  • Ambicioso;

Opinião sobre a obra:

Na minha opinião Hamlet é uma obra que desperta o interesse do leitor da primeira palavra até à última e que retrata de certa forma sentimentos que a maioria das pessoas sente enquanto vivas ou seja o ódio (vingança).

Uma conclusão que eu retiro desta obra é que a vingança só gera mais vingança e que temos de nos esforçar para podermos controlar este sentimento.

Eu gostei bastante da obra e não me arrependo de ter escolhido este livro para o contrato de leitura.

Biografia do autor (William Shakespeare):

William Shakespeare, poeta e dramaturgo inglês, nasceu em Stratford em 23 de Abril de 1616. Ainda na juventude, deixou-se seduzir pelo teatro e decidiu dar os primeiros passos numa companhia, onde desempenhou funções humildes. Sabe-se que casou muito jovem, em 1582, com uma mulher mais velha oito anos, que lhe deu três filhos e uma vida desafogada financeiramente.

Mais tarde, em Londres, deu início a uma bem-sucedida carreira de ator, começando também a fazer adaptações de obras, onde impôs a sua própria personalidade artística. Em 1588 era já considerado um talentoso ator. Em 1594 ingressou na Lord Chamberlain's Company of Players, companhia a que esteve ligado toda a vida. Representava também no Teatro Globo e na própria corte. Num contexto histórico favorável ao desenvolvimento cultural e artístico, durante o reinado de Isabel I, o talento de Shakespeare emergiu com muito brilho, como ator e escritor.

A obra que agora apresentamos, Hamlet, Príncipe da Dinamarca, terá sido escrita em 1601. É a história do jovem Hamlet, que, para vingar seu pai assassinado por seu tio e padrasto, simula uma permanente loucura, levando o seu sacrifício ao ponto de romper com a sua noiva, a gentil e melancólica Ofélia. São aqui postos a nu temas como a traição, o incesto, a corrupção e a vingança.

Shakespeare é autor de grande quantidade de peças de teatro (dramas, tragédias e comédias), entre as quais Romeu e Julieta, Rei Lear, Otelo, O Mercador de Veneza, Macbeth, Júlio César, António e Cleópatra, Caseiras de Amor Baldadas, El-rei João, Ricardo II, El-Rei Henrique IV, As Alegres Comadres de Windsor, El-Rei Henrique VI, O Rei Ricardo III, O Rei Henrique VIII, etc.

Perto dos 50 anos de idade, Shakespeare deixou o teatro e foi viver para a sua terra natal. Tornou-se um respeitável fidalgo rural, muito influente na vida social de Stratford.

O seu génio literário não pertenceu só à sua época, mas a todas que se lhe seguiram. A sua obra começou a ser editada sete anos depois da sua morte, para renascer em meados do século XVIII.



28 Visualizações 14/09/2019