O teu país

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod


Eliana Barros

Escola

[Escola não identificada]

Recursos Energéticos

Todos os trabalhos publicados foram gentilmente enviados por estudantes – se também quiseres contribuir para apoiar o nosso portal faz como o(a) Eliana Barros e envia também os teus trabalhos, resumos e apontamentos para o nosso mail: geral@notapositiva.com.

Resumo do trabalho

Trabalho de Educação Tecnológica tem como principal objectivo conhecer as diferenças entre recursos energéticos não renováveis e renováveis.


Introdução

O presente trabalho realizado no âmbito da Disciplina de Educação Tecnológica tem como principal objectivo conhecer e dar a conhecer as diferenças entre os recursos energéticos não renováveis e os recursos energéticos renováveis.

Começamos por abordar os recursos energéticos não renováveis seguidamente os recursos energéticos renováveis.

Os recursos energéticos

A energia está cada vez mais presente nas nossas vidas. Muitas vezes só nos apercebemos disso quando ela falta. Os recursos energéticos podem ser renováveis e não renováveis (fig.1).

Fig. 1 – Os recursos energéticos que se podem utilizarem para a produção de energia.

Recursos energéticos não renováveis

O aumento da população, a aquisição de novos hábitos de consumo e os progressos tecnológicos levaram a uma grande exploração dos recursos da Terra.

Um olhar pelo Mundo

Grande parte da energia produzida no Mundo provém dos recursos não renováveis: carvão, petróleo e gás natural. Em 1960 alguns países fundaram a OPED (Organização dos Países Exportadores de Petróleo); esta surge para que os países exportadores não entrem em concorrência, evitando assim a baixa dos preços.

Fig.2 – Localização das principais fontes de energia do Mundo e dos países da OPED.

O consumo mundial dos recursos energéticos não renováveis tem vindo a aumentar a um ritmo assustador. A procura de energia quase duplicou nos últimos 30 anos, prevendo-se que venha a aumentar mais 60% até 2020. Os países consomem energia na indústria, nos transportes e nas actividades domésticas. È nos países desenvolvidos que se consome mais energia.

Fig.3 – Distribuição mundial do consumo energético a partir do petróleo, carvão e gás natural.

Imagina que a Terra é um frasco que concentra energia que o homem consome a um ritmo acelerado.

Energia nuclear

O urânio é um recurso usado para produzir energia nuclear, a qual adquiriu grande importância a partir de meados do século XX nos países desenvolvidos por ser muito rentável, com um potencial energético incalculável. Porém, também é muito perigosa e poluente.

A radioactividade que resulta da sua produção é prejudicial aos seres vivos.

Fig.4 – Número de centrais nucleares no Mundo

A energia nuclear pode-se tornar muito perigosa no caso de ocorrerem fugas de radioactividade, originando acidentes nucleares, com a contaminação de extensas áreas por dezenas ou centenas de anos.

Em 1986 em Chernobyl, na Ucrânia, deu-se o maior acidente ocorrido numa central nuclear, quando um dos reactores explodiu. Ainda hoje se sentem os seus efeitos (fig. 5).

Fig. 5 – Expansão da radiação após o acidente de Chernobyl

O acidente de Chernobyle lançou grandes quantidades de detritos radioactivos para a atmosfera, colocando em perigo a vida dos habitantes das áreas afectadas.

Fig.6 – Reactores nucleares na Europa ocidental.

Um olhar pela Europa

A energia nuclear na Europa apresenta-se como uma solução face ao grande consumo de energia, à dependência do petróleo e à instabilidade política do médio oriente.

No entanto, muitos europeus manifestaram-se, desde há muito, contra a sua utilização, tanto em termos civis como militares.

Um olhar por Portugal

Portugal é o país da EU que consome mais energia em relação à que produz estando assim muito dependente do exterior (fig.7).

Fig.7 – Energia em Portugal

Os nossos recursos energéticos não renováveis são escassos e o consumo per capita tem aumentado significativamente (fig.8).

Fig.8 – consumo de energia primária em Portugal per capita

A energia nuclear não é produzida apesar de termos urânio, devido ao elevado preço de construção das centrais e aos receios de acidentes ambientais

O gás natural tem vindo a ser introduzido nos nossos hábitos diários e vem da Argélia (fig.9).

Fig.9 – Proveniência dos abastecimentos de gás natural à Península Ibérica.

Os recursos energéticos renováveis

Os recursos energéticos renováveis começaram a ter importância face ao esgotamento das reservas dos recursos não renováveis num futuro próximo. Os recursos renováveis permitem obter as energias renováveis.

Fig.10 – Barragem de Crestuma-Lever (rio Douro)

As energias renováveis fazem parte de um conjunto de fontes de energia que se caracterizam por se reporem naturalmente na Terra. Estas energias vão sendo renovadas á medida que são exploradas, podendo ser chamadas de alternativas quando são utilizadas para substituir a energia obtida a partir de combustíveis fósseis.

As energias alternativas fornecem hoje quase 10% da energia total do Mundo e podem responder a 50% das necessidades de energia em 2050.

Um olhar pelo Mundo

A construção de barragens exige um grande investimento inicial e é muito condicionada pelas características geográficas da região (áreas montanhosas atravessadas pelo rio com grandes quantidades de precipitação); por outro lado, as barragens podem trazer problemas ambientais porque interferem no curso dos rios e inundam vastas áreas.

A energia hidroeléctrica é a energia produzida pela água em movimento e é uma das mais antigas fontes de energia. É a energia renovável mais produzida no Mundo. Esta energia não se gasta e não é poluente, mas tem o inconveniente de depender das condições climatéricas, principalmente das quantidades de pluviosidade.

Um olhar por Portugal

Produção de energias alternativas a partir de recursos renováveis tem sido estimulada e poderá ser muito aproveitada no futuro.

Existem vários aproveitamentos em diversos pontos do território nacional, onde a energia eólica, solar, o biogás, das ondas ou geotérmica são aproveitadas como fontes de energia alternativas.

Fig. 11 – Retrato da produção de energia renovável em Portugal

Aproveitar a matéria-prima

A decomposição da matéria orgânica pela acção das bactérias em biogás permite a produção de energia térmica e eléctrica.

Síntese de algumas energias

Recurso

Energia

Vantagens

Desvantagens

Classificação

Carvão Termoeléctrica Barato Poluente Esgota-se Não renovável
Petróleo Termoeléctrica Elevado Rendimento Poluente Esgota-se Não renovável
Gás Natural Térmica Barato Pouco poluente Esgota-se Não renovável
Urânio Energia nuclear Barato Perigo da radiação e dos resíduos Não renovável
Água Hidroeléctrica Não poluente Não se esgota Impacte ambiental Renovável
Vento Eólica Não poluente Não se esgota Elevados custos com a instalação e manutenção Renovável
Sol Solar Não poluente Não se esgota Elevados custos com a instalação e manutenção Renovável
Marés Marés Não poluente Não se esgota Elevados custos com a instalação e manutenção Renovável
Biomassa Biogás Não poluente Não se esgota Elevados custos com a instalação e manutenção Renovável
Calor da Terra Geotérmica Não poluente Não se esgota Elevados custos com a instalação e manutenção Renovável

Conclusão

Nos últimos tempos o consumo dos recursos energéticos não renováveis tem vindo a aumentar consideravelmente.

Nas últimas três décadas a procura destes recursos quase duplicou prevendo-se que esse aumento continue nos próximos anos, sobretudo nos países mais desenvolvidos, pois é nestes onde se consome mais energia.

Esse tipo de recursos sendo por um lado poluentes, por outro lado, têm a desvantagem de não se reporem continuamente, sendo assim o Homem terá de encontrar outros recursos alternativos menos poluentes e duráveis designados por recursos energéticos renováveis.

Bibliografia



18 Visualizações 17/10/2019