O teu país

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod


Ana Margarida Alves

Escola

Escola Básica 2/3 de São Gonçalo, Torres Vedras

A Era Estalinista na URSS

Todos os trabalhos publicados foram gentilmente enviados por estudantes – se também quiseres contribuir para apoiar o nosso portal faz como o(a) Ana Margarida Alves e envia também os teus trabalhos, resumos e apontamentos para o nosso mail: geral@notapositiva.com.

Resumo do trabalho

Trabalho escolar sobre a Era Estalinista na URSS, realizado no âmbito da disciplina de História (9º ano)...


Introdução

Vítima de doença cerebral, Lenine faleceu em Janeiro de 1924. O problema delicado da sua sucessão originou acesas disputas no ceio do Partido Comunista. Estaline, o secretário-geral do partido desde 1922, acabou por levar a melhor, tanto sobre a fracção esquerdista liderada por Trotsky, como sobre a ala direita agrupada em torno de Zinoviev, Kamenev e Boukharine.

Josef Stalin

Josef Vissarionovitch Stalin foi secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética e do Comité Central desde 1922 até à sua morte em 1953, sendo assim o líder soberano da União Soviética. Nascido numa pequena cabana na cidade georgiana de Gori e filho de uma costureira e de um sapateiro, o jovem Estaline teve uma infância difícil e infeliz. Chegou a estudar num colégio religioso de Tiflis, capital georgiana, para satisfazer os anseios de sua mãe, que queria vê-lo seminarista. Mas logo acabou enveredando pelas actividades revolucionárias contra o regime czarista. Estaline chegou ao posto de secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética entre 1922 e 1953 e, por conseguinte, o chefe de Estado da URSS* durante cerca de um quarto de século, transformando o país numa superpotência.

URSS

A União das Repúblicas Socialistas Soviéticas , também conhecida por União Soviética ou simplesmente URSS, foi um país de proporções continentais, declaradamente socialista que existiu na Eurásia de 1922 a 1991.

A União das Repúblicas Socialistas Soviéticas , também conhecida por União Soviética ou simplesmente URSS, foi um país de proporções continentais, declaradamente socialista que existiu na Eurásia de 1922 a 1991.

No dia 21 de Dezembro de 1991 os líderes da Federação Russa, Ucrânia e Bielorrússia assinaram um documento onde era declarado o fim da União Soviética. E no seu lugar era criada a CEI (Comunidade dos Estados Independentes). No dia 25 de Dezembro de 1991 , numa cerimónia transmitida por satélite para o mundo inteiro, Gorbatchov que estava á 6 anos no poder declara oficialmente o fim da URSS, renúncia a presidência do país e após isso, a bandeira com a foice e o martelo é retirada do Kremlin e a bandeira russa é colocada no seu lugar. A União Soviética dissolveu-se oficialmente no dia 31 de Dezembro de 1991, 69 anos após o seu início.

A Colectivização e Planificação Económica

Desde 1928 e até 1953, data da sua morte, Estaline foi o chefe incontestado da União Soviética. Sem entraves de qualquer espécie, empenhou-se na construção da sociedade socialista e na transformação da Rússia em potência mundial. Conseguiu-o através da colectivização dos campos, da planificação económica e do totalitarismo repressivo do Estado.

Colectivização

  • O estado apodera-se de terras, fábricas, transportes, minas e empresas comerciais e entrega-as aos trabalhadores para que estes as explorem em regime colectivo.
  • No domínio da agricultura, a nacionalização é forçada e os proprietários revoltam-se.
  • A colectivização agrícola assume duas unidades de produção distintas:
    • Kolkhozes – cooperativas agrícolas.
    • Sovkhozes – cooperativas do estado exploradas em comum pelos        camponeses.

Resistência à colectivização por parte dos Kulaks*

Planificação

  • Foram elaborados planos quinquenais (com duração de 5 anos).
  • O estado é que decidia o que produzir e em que quantidades.

O primeiro plano quinquenal (1928-1932) visou o incremento da indústria pesada e levou ao quase desaparecimento do sector privado da indústria soviética. Promoveu investimentos maciços, permitidos por uma rigorosa colecta fiscal; recorreu a técnicos estrangeiros; apostou  na formação de especialistas e engenheiros. Um conjunto de medidas coercivas (caderneta de trabalho obrigatória, despedimento sem aviso prévio por ausência injustificada) contribui-o para fixar os operários e aumentar a produtividade.

Quanto ao segundo plano quinquenal, decorreu de1933 a 1937 e incidiu no sector da indústria ligeira e dos bens de consumo (vestuário e calçado).

O terceiro plano quinquenal iniciou-se em 1938 e deveria prolongar-se até 1945. As suas prioridades foram as indústrias pesada, hidroeléctrica e química. A Segunda Guerra Mundial interrompeu-o em 1941.

Industrialização Estalinista

Planos Quinquenais

Resultados dos três primeiros planos quinquenais:

  • A produção de aço passou de 4 para 18 milhões de toneladas, entre 1928 e 1940;
  • A produção de carvão ultrapassou 160 milhões de toneladas, no mesmo período;
  • A colectivização passou de 2% em 1928, para 62% em 1932.

Nas vésperas da 2ª Guerra Mundial, a URSS era a 3ª maior potência mundial a URSS era a terceira potência mundial, atrás dos EUA e da Alemanha.

A Repressão Estalinista

O regime estalinista era repressivo, tal como os outros totalitarismos.

Estaline mandava perseguir os seus opositores:

  • Depurações dentro do partido;
  • Deportações em massa, geralmente para campos de trabalho forçado na Sibéria;
  • Criação de prisões políticas;
  • Julgamentos sumários;
  • Fuzilamentos.

Campo de trabalhos forçados na Sibéria

O culto da personalidade

Estaline institui o culto da personalidade à sua pessoa. Mandou erigir estátuas suas e cartazes com o seu retrato por toda a URSS.

Mobilizou a população para a reconstrução económica e para a competição internacional, atribuindo, prémios de produtividade e promovendo os “heróis do trabalho” = a emulação socialista.

Um dos cartazes que foram espalhados por toda a União Soviética

Duas das muitas estátuas de Estaline mandadas construir pelo mesmo por toda a União Soviética

Morte de Estaline

No dia 5 de Março de 1953, Estaline morreu com uma hemorragia cerebral facto que, segundo muitos, ainda merece uma profunda investigação. Existem aqueles que acreditam que ele foi assassinado. Os mais destacados historiadores mundiais, no entanto, ainda consideram que Estaline morreu de causas naturais.

Após a sua morte, Malenkov assume o governo mas, devido às posições que defendia, foi forçado a renunciar a liderança do Partido no dia 13 de Março, sendo sucedido por Nikita Khrushchov.

Fim do Estalinismo

“Desestalinização”

O estalinismo sofreu no mundo inteiro um forte revés com a decisão do dirigente soviético Nikita Khrushchov de renegar o legado de Estaline, no discurso secreto proferido no XX Congresso do PCUS (23 de Fevereiro de 1956), ao "denunciar os crimes" que seu antecessor teria cometido durante as décadas de sua gestão à frente da URSS. Segundo o dirigente, os expurgos, os gulags, os campos de trabalho forçado, a fome e as execuções sumárias somadas teriam provocado a morte de milhões (cifras variam de 5 a 20 milhões de indivíduos) de cidadãos soviéticos.

Com as acusações de Kruschov, que também criticou o "culto à personalidade" dos líderes socialistas, militantes e partidos comunistas de vários países optaram por reavaliar o alinhamento às directrizes de Moscovo e a adoração a Josef Stalin, às vezes por autocrítica, outras por revisionismo. Tal processo ficou conhecido como "desestalinização".

Nikita Kruschov

Conclusão

  • O Estado estalinista revelou-se omnipotente e totalitário. Todas as regiões foram russificadas e submetidas a Moscovo. Os cidadãos viram-se privados das liberdades fundamentais. Toda a sociedade ficou enquadrada em organizações que a vigiavam, desde os jovens, inscritos nos Pioneiros e, depois, nas Juventudes Comunistas, aos trabalhadores, obrigatoriamente filiados nos sindicatos afectos ao Partido Comunista. Só o Partido Comunista monopolizava o poder político: às eleições apenas se apresentavam os candidatos por ele propostos; por sua vez, o centralismo democrático permitia-lhe, o controlo dos órgãos do Estado.
  • A superintendência da economia cabia, também ao Estado: fazia-o através da colectivização e da planificação.
  • A própria cultura foi obrigada a exaltar a grandeza do Estado soviético e a render culto à personalidade do seu chefe de Estado.
  • Até ao fim da década, cerca de 2 milhões de pessoas sofreram a deportação para os campos de trabalhos forçados e 700 mil foram executadas.

A ditadura estalinista ficou associada a um dos regimes mais despóticos da História da Humanidade.

Cibergrafia

. http://pt.wikipedia.org/wiki/Stalinismo

. http://pt.wikipedia.org/wiki/Desestaliniza%C3%A7%C3%A3o

. http://www.slideshare.net/RainhaMaga/a-era-estalinista

Bibliografia

. Manual : Novo História 9ºano Editor: Texto Editores, Lda.

. Manual: O Tempo da História – História A . 12º ano Editora: Porto Editora

“Nada melhor do que descobrir um inimigo, preparar a vingança e depois dormir tranquilo”

 Josef Stalin



83 Visualizações 12/01/2020