O teu país

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod


As Secas

Todos os trabalhos publicados foram gentilmente enviados por estudantes – se também quiseres contribuir para apoiar o nosso portal faz como o(a) Joaquim Pontes e envia também os teus trabalhos, resumos e apontamentos para o nosso mail: geral@notapositiva.com.

Resumo do trabalho

Trabalho sobre as Secas (incluindo uma caracterização dos diferentes tipos de secas e os seus impactos), realizado no âmbito da disciplina de Geografia (11º ano).


Secas

As secas ou estiagens são fenómenos climáticos causados pela insuficiência de precipitação pluviométrica, ou chuva numa determinada região por um período de tempo muito grande.

Este fenómeno provoca desequilíbrios hidrológicos importantes. Normalmente a ocorrência da seca se dá quando a evapotranspiração ultrapassa por um período de tempo a precipitação de chuvas.

Tipos de Secas

As secas podem ser geradas pelos mais diversos fenómenos climatológicos, em função disto, criou-se uma tipologia da seca:

  • Seca permanente: É caracterizada pelo clima desértico, onde a vegetação se adaptou às condições de aridez, inexistido cursos de água. Estes só aparecem depois das chuvas que via de regra são fortíssimas tempestades. Este tipo de seca impossibilita a agricultura sem irrigação permanente.
  • Seca sazonal: A seca sazonal é uma particularidade de regiões onde o clima é semi-árido. Nestas a vegetação reproduz-se porque os vegetais adaptados geram sementes e morrem em seguida, ou mantém a vida em estado latente durante a seca. Nestas regiões os rios só sobrevivem se a sua água for oriunda de outras regiões onde o clima é húmido. Este tipo de seca possibilita o plantio desde que em períodos de chuvas, ou por irrigação.
  • Seca irregular e variável: A seca irregular pode ocorrer em qualquer região onde o clima seja húmido ou sub-húmido e caracterizado por apresentar variabilidade climática do ponto de vista estatístico. Estas, são secas cujo período de retorno é breve e incerto. Normalmente são limitadas em área, e não em grandes regiões, não ocorrem numa estação definida e inexiste previsibilidade de sua ocorrência, isto é, não há um ciclo bem definido. Trata-se de um fenómeno estatístico, cuja estrutura de eventos pode ser descrita por uma teoria mais geral que o cálculo de médias e desvios, por exemplo pela teoria da Cadeia de Markov, aplicando ordem superior: extremamente seco, muito seco, seco, normal, húmido, muito húmido, extremamente húmido, separando classes de mesma probabilidade de ocorrência. Acredita-se que a estação de verão favoreça as secas pois existe um grande aumento da evapotranspiração devido ao incremento da radiação solar incidente, sobretudo quando as taxas de precipitação estão abaixo do quantil seco ou muito seco. Assim, várias variáveis meteorológicas devem ser consideradas na definição da ocorrência das secas, não somente a taxa de precipitação, mas também a temperatura, a humidade do solo, o grau de verdejamento da vegetação, a radiação solar incidente, etc...
  • Seca "invisível”: De todos, este tipo de seca é o pior, pois a precipitação não é interrompida, porém, o índice de evapotranspiração é maior que o índice pluviométrico causando um desequilíbrio da humidade regional. Este desequilíbrio gera uma redução da humidade do ar que por sua vez aumenta o índice de evapotranspiração, que por sua vez “re-alimenta” a perda de humidade subterrânea para a atmosfera, que devolve esta em forma de chuva, que porém não é suficiente para aumentar a humidade do solo.

Algumas características das Secas:

  • As causas das secas são difíceis de encontrar e, por isso, estas catástrofes naturais são pouco previsíveis, afectando muitas regiões do mundo, ou seja, são imprevisíveis;
  • Iniciam-se lentamente e só são perceptíveis quando já estão de facto estabelecidas;
  • Os seus impactos são pervasivos e podem durar muito para além de as secas se terem dissipado.

Diferentemente de outros desastres naturais, os impactos das secas:

  • Não incidem sobre infraestruturas físicas mas sobre estruturas produtivas, ambientais e sobre a vida das populações;
  • São difíceis de quantificar e as provisões para a recuperação dos impactos são muito difíceis de realizar;
  • A severidade destes impactos não só dependem da duração, intensidade e dimensão espacial de dado episódio de seca e mas também da dimensão da procura para a água por parte das actividades humana e dos ecossistemas naturais e produtivos específicos das regiões onde ocorre a quebra de abastecimento hídrico.



68 Visualizações 21/03/2020