O teu país

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod


Eva Branquinho

Escola

Escola Secundária E.B.3 Dr. Jorge Correia de Tavira

Benefícios da Actividade Física na Saúde

Todos os trabalhos publicados foram gentilmente enviados por estudantes – se também quiseres contribuir para apoiar o nosso portal faz como o(a) Eva Branquinho e envia também os teus trabalhos, resumos e apontamentos para o nosso mail: geral@notapositiva.com.

Resumo do trabalho

Trabalho sobre os Benefícios da Actividade Física na Saúde, realizado no âmbito da disciplina de Educação Física (11º ano).


Introdução

Não é novidade para ninguém que a actividade física traz consigo benefícios para a saúde. Quantas vezes já ouvimos ou dissemos isto? Certamente que muitas. No entanto, na maioria das vezes não sabemos qual é, concretamente, a relação entre actividade física e saúde nem quais são esses mesmo benefícios de que tanto se fala. Para a grande maioria das pessoas isto é um conhecimento adquirido, sempre o ouviram mas nunca pensaram nas razões que levaram a esta determinação. Foi isto que nos levou a escolher este tema, um tema que tem ganho novos contornos e uma crescente importância nos últimos anos.

O esclarecimento de alguns conceitos inerentes a esta problemática e das implicações da actividade física na vida e saúde de cada um de nós, são alguns dos aspectos frisados neste trabalho.

Antes de conhecermos a importância da aptidão física na nossa saúde é indispensável conhecer o significado de cada um destes termos e relacioná-los, uma vez que a relação entre os dois nos permite uma maior qualidade e expectativa de vida. Assim sendo seguem-se abaixo os conceitos de aptidão física, saúde e a respectiva associação:

Conceito de Aptidão Física

Em tempos remotos, aptidão física tinha um significado diferente do actual, visto considerar-se que boa aptidão física era sinónimo de um corpo modelado e viril. Hoje em dia esta concepção está ultrapassada e ganhou novos contornos. Aptidão física está, agora, mais relacionada com a saúde, o bem-estar físico, psíquico e social e com um bom rendimento desportivo, não evidenciando sinais exagerados de fadiga na realização de determinados esforços. A nova percepção deste conceito visa a realização das actividades da vida com entusiasmo, suportando esforços físicos inesperados e exigentes.

Conceito de Saúde

Saúde é usualmente definida como a ausência de doenças, no entanto segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) aquele que tem saúde é alguém em completo bem-estar físico, psíquico e social e não apenas sem doenças. A saúde relaciona-se com a capacidade de apreciar a vida e resistir aos desafios do quotidiano.

Aptidão física associada à saúde

A aptidão física liga-se com a saúde através da prevenção de doenças, pois esta diminui o risco de contraí-las e tem em vista alcançar o bem-estar geral. A actividade física pode ser uma grande fonte de prazer e constitui um factor importante na melhoria da qualidade de vida, a saúde pode ser preservada e aprimorada com a prática regular desta.

Muitos defendem que a prática de uma actividade física desenvolve-se na infância e adolescência e tende a continuar na idade adulta, por esse motivo o sedentarismo, cada vez mais acentuado, deve ser prevenido através de exercícios destinados a crianças e adolescentes.

Benefícios da Actividade Física

A actividade física devidamente orientada produz efeitos benéficos em diversas estruturas biológicas e no funcionamento do corpo humano em geral, aumentando a qualidade e expectativa de vida. Estes efeitos verificam-se ao nível das estruturas:

  • Locomotora – Ossos, Músculos e Articulações; Orgânica – Sistema Circulatório e Respiratório;
  • Perceptivo-Cinética – Sistema nervoso e órgãos sensitivos; e
  • Psicológicos e sociais.

Abordaremos agora, com mais precisão os diferentes benefícios em cada uma das estruturas anteriormente mencionadas.

Estruturas locomotoras:

  • Aumento do volume dos músculos, promovendo um acréscimo de força;
  • Aumento das reservas energéticas do músculo e mobilização mais rápida destas para o trabalho muscular, o que corresponde a uma melhor utilização das fontes de energia;

  • Estimulação do crescimento ósseo;
  • Aumento da mobilidade e flexibilidade articulares;

Orgânico – sistema circulatório e respiratório:

  • O coração torna-se mais forte e volumoso, aumentado as dimensões das suas cavidades (aurículas e ventrículos). Assim, põe maior quantidade de sangue em circulação em cada contracção realizada, proporcionando, por este facto, uma diminuição da frequência cardíaca, quer em repouso, quer em situação de exercício.
  • Aumento dos capilares do músculo, melhorando a sua irrigação sanguínea e aumentando a resistência à fadiga.
  • Aumento do número de glóbulos vermelhos e da quantidade de hemoglobina, indispensável ao transporte de O2 e de CO2.
  • Aumento da capacidade vital dos pulmões. Em cada inspiração, recebe maior volume de ar, o que permite o transporte de maior quantidade de O2 para as células e a expulsão de mais CO2. Por isso, verifica-se uma diminuição da frequência cardíaca.

Gráfico representativo da influência do exercício físico sobre a frequência cardíaca. Distinção da frequência cardíaca de uma pessoa sedentária comparativamente com a frequência cardíaca da mesma pessoa, após uma prática regular de corrida contínua.

Perceptivo-Cinética – Sistema nervoso e órgãos sensitivos:

Ao nível do sistema nervoso e órgãos sensitivos, a aptidão física constitui um papel muito importante para os movimentos serem mais coordenados, ou seja, mais precisos e seguros, tal acontece com a melhoria do controlo do sistema nervoso sobre os músculos e demais órgãos.

Psicológicos e sociais:

  • Melhora o controlo do apetite graças à regularização da digestão e do combate à obstipação, porque estimula a actividade dos intestinos;
  • Aumenta a auto-estima e a sensação de bem-estar;
  • Diminui a tensão nervosa e psíquica, reduzindo os estados de depressão e de            ansiedade, porque o exercício físico favorece o repouso devido à fatiga do organismo e eliminação das tensões musculares e permite, muitas vezes, libertar a agressividade e escapar ao stress;
  • Melhora o estado anímico;
  • Melhora as funções intelectuais pois a actividade física estimula a irrigação do cérebro, trazendo consigo uma melhoria significativa do psiquismo e das faculdades mentais;
  • Contribui para o aumento e melhoria das relações sociais;
  • Facilita o relacionamento e comunicação entre as pessoas.

Doenças propícias da falta de exercício físico

A ausência de exercício físico no ser humano, além de dificultar determinados mecanismos orgânicos necessários para uma boa saúde, provoca também doenças que, por vezes, põem em risco a vida do indivíduo. As doenças mais frequentes são:

  • Asma;
  • Diabetes;
  • Epilepsia;
  • Doenças cardíacas;
  • Cancro;
  • Depressão;
  • Obesidade;
  • Entre outras

Dicas para a promoção da saúde

Para promover a saúde deve-se praticar actividade física regularmente, através de exercícios que exijam um esforço físico moderado, como jogar basquetebol, voleibol ou futebol. Se não se dispõe de meios para essa prática pode-se apenas alterar alguns hábitos diários como andar a pé, evitar elevadores, reduzir o tempo sentado a ver televisão ou no computador, passear o cão, aproveitar os dias de sol para passear com amigos ou familiares, lavar o carro manualmente, entre outros.

Para alcançar essa saúde pretendida deve-se:

  1. Somente praticar exercícios sob orientação de um profissional;
  2. Realizá-los com regularidade;
  3. Transformar o exercício numa fonte de lazer;
  4. Fazer os alongamentos e o devido aquecimento antes de praticar qualquer tipo de exercício;
  5. Exercitar-se até se sentir “agradavelmente” cansado;
  6. Não querer fazer tudo de uma vez e apenas uma vez;
  7. Procurar o exercício mais adequado para as características do seu próprio corpo;
  8. Praticar exercícios que requeiram movimentos fáceis e envolvam todos os grupos musculares;
  9. Evitar competir com os outros e principalmente consigo;
  10. Nunca praticar desporto só no fim-de-semana, principalmente se não estiver com alguma preparação física;
  11. Antes de se envolver num programa de exercícios, deve submeter-se a uma avaliação com o seu médico e procurar orientação de profissionais especializados;
  12. Não se descuidar da hidratação, quanto mais intensa a prática do exercício, mais a perda de água e sais minerais, por isso beba muita água antes, durante e após o treino.
  13.  Caso não esteja habituado a uma actividade intensa, opte, primeiramente por caminhar, aumentando progressivamente o ritmo de marcha.

Conclusão

Toda a actividade física que praticamos condiciona o nosso estado físico, psíquico e social, três elementos fundamentais para sermos indivíduos saudáveis. É visível a influência da actividade física nas estruturas locomotora, orgânica, perceptivo-cinética e ainda aos níveis psicológicos e sociais. Estes factores são determinantes para nos sentirmos bem connosco e termos uma vida mais activa na sociedade.

Em suma, a actividade física traz bastantes vantagens ao nível da saúde, isto se for sempre praticada de uma forma saudável e com conta, peso e medida.

Bibliografia

GONÇALVES, Hernâni, et al, Aptidão Física – 10.º/11.º/12.º Anos, Didáctica Editora.

ROMÃO, Paula, et al, Educação Física – 1ª Parte – 10.º/11.º/12.º anos, Porto Editora, Porto, 2005.

MINISTÉRIO DA SAÚDE, Direcção-Geral da Saúde, 2005 (revisto em 10-02-2008) [citado em 11-02-2008]. Disponível em URL: http://www.dgs.pt



12 Visualizações 25/02/2020