O teu país

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod


Diana Cruz

Escola

Escola EB 2/3 de Penafiel

Os Fenícios

Todos os trabalhos publicados foram gentilmente enviados por estudantes – se também quiseres contribuir para apoiar o nosso portal faz como o(a) Diana Cruz e envia também os teus trabalhos, resumos e apontamentos para o nosso mail: geral@notapositiva.com.

Resumo do trabalho

Trabalho sobre Os Fenícios e a sua civilização, realizado no âmbito da disciplina de História (7º ano)...


INTRODUÇÃO

Este trabalho fala de um povo que se desenvolveu numa civilização diferente. Passa-se entre meados do 2º e do 1º milénio a.C. e conta um pouco da vida dos Fenícios.

OS FENÍCIOS

Entre meados do 2º e do 1º milénio a.C., na costa do Mediterrâneo Oriental, desenvolveu-se uma civilização diferente: a civilização fenícia. Organizado em cidades-estados e desenvolvendo o comércio marítimo à distância, este povo de marinheiros e comerciantes foi responsável por uma das mais importantes invenções: o alfabeto

Uma civilização de marinheiros e pescadores

Os Fenícios eram um povo de origem semita. A civilização fenícia desenvolveu-se nas regiões costeiras do actual Líbano, entre o mar e as montanhas próximas. Junto ao mar, em algumas baías e portos naturais, nasceram cidades com vocação para o comércio; nas montanhas e colinas cresciam bosques, que forneciam a preciosa madeira de cedro. Na Fenícia não se organizou nenhum estado unificado, nem um Império, como no Egipto ou na Mesopotâmia; pelo contrário cada cidade tinha o seu governo e a sua administração (algumas eram governadas por reis, outras por concelhos de magistrados, escolhidos pelos ricos comerciantes). Com as matérias-primas locais (madeira de cedro, linho, lã, barro) e com outras que, nos seus barcos, traziam de terras distantes (metais, pedras preciosas, marfim, algodão), os Fenícios desenvolveram uma importante actividade artesanal, em especial no domínio da cerâmica, metal, vidro e tecidos. Fundando colónias e feitorias, navegando e comerciando por todo o Mediterrâneo e pelas costas do Atlântico até à Grã-Bretanha, os Fenícios já praticavam o comércio marítimo à distância.

Aspecto Religioso

As mulheres tinham de oferecer a virgindade aos sacerdotes do templo de Ashtart, a deusa da fertilidade. Crianças eram sacrificadas em altares a céu aberto para garantir o fluir das estações. Os fenícios eram competentes comerciantes e os mais habilidosos construtores de barcos da antiguidade, fama que se espalhou pelos egípcios. Estes, em suas pirâmides contam que por volta de 2600 a.C., o faraó Sakuré comprou 40 embarcações fenícias, feitas com um tipo de madeira clara, de qualidade e abundante na região, o cedro. Essa madeira foi o grande trunfo os egípcios.

O principal contributo civilizacional dos Fenícios: o alfabeto

Como povo de navegadores e comerciantes, os Fenícios deixaram-se influenciar culturalmente pelos povos com quem contactavam. Nesse sentido, eles foram intermediários culturais entre o Oriente e o Ocidente. Mas o principal contributo civilizacional deste povo foi a invenção da escrita alfabética. De facto, a partir da simplificação da escrita egípcia, os Fenícios criaram uma escrita fonética, em que cada sinal representava um som e não um objecto. Foi assim que o alfabeto fenício reduziu a 22 os signos da escrita egípcia. Destes signos derivaram os caracteres gregos e latinos, que se difundiram por todo o Mundo e que nós hoje ainda usamos.

Conclusão

Deve-se ao povo Fenício a invenção da escrita alfabética. Esta invenção teve consequências importantes para o progresso da Humanidade. Sendo uma forma de escrita mais simples, fez com que a cultura deixasse de ser um privilégio de certas minorias. Além disso possibilitou o progresso das técnicas comerciais e tornou mais fácil a aproximação entre os povos.

Bibliografia

  • Manual «Ao Encontro da História 7» de Neves, Pedro Almiro e Almeida, Valdemar Castro – Porto Editora
  • Site www.civilizaçõesantigas/fenicios.html
  • Enciclopédia de consulta «Activa Multimédia – História Universal» Direcção do Eng.º Roberto Carneiro – Lexicultural



180 Visualizações 19/07/2019