O teu país

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod


Voleibol

Todos os trabalhos publicados foram gentilmente enviados por estudantes – se também quiseres contribuir para apoiar o nosso portal faz como o(a) Beatriz Medina e envia também os teus trabalhos, resumos e apontamentos para o nosso mail: geral@notapositiva.com.

Resumo do trabalho

Trabalho escolar sobre o Voleibol, realizado no âmbito da disciplina de Educação Física (12º ano).


História

O voleibol foi inventado em 9 de Fevereiro de 1895 por William George Morgan nos Estados Unidos da América. O objectivo de Morgan director de Educação Física no Colégio de Holioke, Massachusetts, nos Estados Unidos da América, e ao qual chamou primeiramente Mintonette. O objectivo era criar um desporto de equipas sem contacto físico entre os adversários de modo a minimizar os riscos de lesão. Inicialmente jogava-se com uma câmara-de-ar da bola de basquetebol e foi chamado Mintonette, mas rapidamente ganhou popularidade com o nome de voleibol. O criador do voleibol faleceu em 27 de Dezembro de 1942 aos 72 anos de idade.

Em 1947 foi fundada a FIVB (Federação Internacional de Voleibol). Dois anos mais tarde, foi realizado o primeiro Campeonato Mundial da modalidade, apenas para homens; em 1952, o evento foi estendido também ao voleibol feminino. Em 1964 o voleibol passou a fazer parte do programa dos Jogos Olímpicos, tendo-se mantido até a actualidade.

Recentemente, o voleibol de praia, uma modalidade derivada do voleibol, tem obtido grande sucesso em diversos países, nomeadamente no Brasil, nos EUA como também no nosso país.

Regras

Para se jogar voleibol são necessários 12 jogadores divididos em duas equipas de seis jogadores.

As equipas são divididas por uma rede que fica no centro do campo. É necessária uma bola (feita de couro flexível, natural ou sintético possui um diâmetro que varia entre os 65 e os 67cm e pesa entre 260 a 280 gramas.). O jogo começa com uma das equipas, que tem de fazer o serviço. Logo depois do lance da bola, esta deve ultrapassar a rede e seguir ao campo do adversário onde os jogadores tentam evitar que a bola caia no seu campo usando qualquer parte do corpo (antes só era válido usar membros da cintura para cima, mas as regras foram mudadas). O jogador pode rebater a bola para que ela passe para o campo adversário sendo permitidos dar três toques na bola antes que ela passe, sempre alternando os jogadores que dão os toques. Caso a bola caia é ponto da equipa adversária. Outra regra importante é que durante o jogo os jogadores não se podem encostar na fita branca acima da rede. O mesmo jogador não pode dar 2 ou mais toques seguidos.

No início de cada set, o jogador que ocupa a posição 1 realiza o lançamento, acerta a bola com a mão tencionando fazê-la atravessar o espaço aéreo delimitado pelas duas antenas e ‘’ganhar’’ o campo adversário.

O primeiro contacto com a bola após o lance é denominado recepção ou passe, o seu objectivo primordial é evitar que ela atinja uma área válida do campo. Segue-se então usualmente o levantamento, que procura colocar a bola no ar de modo a permitir que um terceiro jogador realize o ataque, ou seja, acerte-a de forma a fazê-la cair na quadra adversária, conquistando deste modo o ponto.

No momento em que a equipa adversária vai atacar, os jogadores que ocupam as posições 2, 3 e 4 podem saltar e estender os braços, numa tentativa de impedir ou dificultar a passagem da bola por sobre a rede. Este movimento é denominado bloqueio, e não é permitido para os outros três atletas que compõem o restante da equipa.

Em termos técnicos, os jogadores que ocupam as posições 1, 5 e 6 só podem acertar a bola acima da altura da rede em direcção à quadra adversária se estiverem no "fundo" de sua própria quadra. Por esta razão, não só o bloqueio se torna impossível, como restrições adicionais se aplicam ao ataque. Para atacar do fundo, o atleta deve saltar sem tocar com os pés na linha de três metros ou na área por ela delimitada; o contacto posterior com a bola, contudo, pode ocorrer no espaço aéreo frontal.

Após o ataque adversário, a equipa procura interceptar a trajectória da bola com os braços ou com outras partes do corpo para evitar que ela caia no campo. Se obtém sucesso, diz-se que foi feita uma defesa, e seguem-se novos levantamento e ataque. O jogo continua até que uma das equipas cometa um erro ou consiga fazer a bola tocar o campo do lado oponente.

Existem basicamente duas formas de marcar pontos no voleibol. A primeira consiste em fazer a bola cair no campo do adversário como resultado de um ataque, de um bloqueio bem sucedido ou, mais raramente, de um lançamento que não foi correctamente recebido. A segunda ocorre quando a equipa adversária comete um erro ou uma falta.

Se a equipa que conquistou o ponto não foi a mesmo que tinha ganho o anterior, os jogadores devem deslocar-se no sentido do relógio, passando a ocupar a próxima posição de número inferior à sua na quadra (ou a posição 6, no caso do atleta que ocupava a posição 1).

O campo mede 18 metros de comprimento por 9 de largura e é dividido por uma linha central em dois quadrados com lados de nove metros que constituem as quadras de cada equipa. O objectivo principal é ganhar pontos fazendo a bola tocar na quadra adversária ou sair para fora da área de jogo após ter sido tocada por um adversário.

Acima da linha central, é postada uma rede de material sintético a uma altura de 2,43m para homens ou 2,24m para mulheres (no caso de competições juvenis e juniores as alturas são diferentes). Cada quadra é por sua vez dividida em duas áreas de tamanhos diferentes (usualmente denominadas "rede" e "fundo") por uma linha que se localiza, em cada lado, a três metros da rede ("linha de 3 metros").

No voleibol, todas as linhas delimitadoras são consideradas parte integrante do campo. Deste modo, uma bola que toca a linha é considerada "dentro" (válida), e não "fora" (inválida). Acima da quadra, o espaço aéreo é delimitado no sentido lateral por duas antenas postadas em cada uma das extremidades da rede. No sentido vertical, os únicos limites são as estruturas físicas do ginásio.

Gestos técnicos

Diversas situações consideradas erros:

  • O jogador toca consecutivamente duas vezes na bola ("dois toques").
  • O jogador empurra a bola, ao invés de acertá-la. Este movimento é denominado "carregar".
  • A bola é tocada mais de três vezes antes de retornar para o campo adversário.
  • A bola toca a antena, ou passa sobre ou por fora da antena em direcção à quadra adversária.
  • O jogador encosta na rede com qualquer parte do corpo excepto os cabelos.
  • Um jogador que está no fundo da quadra realiza um bloqueio.
  • Um jogador que está no fundo da quadra pisa na linha de três metros ou na área frontal antes de fazer contacto com a bola acima do bordo superior da rede ("invasão do fundo").
  • O jogador bloqueia o saque adversário.
  • O jogador está fora de posição no momento do saque.
  • O jogador saca quando não está na posição 1.
  • O jogador toca a bola no espaço aéreo acima da quadra adversária em uma situação que não se configura como um bloqueio ("invasão por cima").
  • O jogador toca a quadra adversária por baixo da rede com qualquer parte do corpo excepto as mãos ou os pés ("invasão por baixo").
  • O jogador leva mais tempo do que o permitido para fazer o serviço.
  • No momento do serviço, o jogador pisa na linha de fundo ou na quadra antes de fazer contacto com a bola.
  • Os "dois toques" são permitidos no primeiro contacto da equipa com a bola, desde que ocorram numa "acção simultânea" - a interpretação do que é ou não "simultâneo" fica a cargo do juiz.
  • A não ser no bloqueio. O toque da bola no bloqueio não é contabilizado.
  • A invasão por baixo de mãos e pés é permitida apenas se uma parte dos membros permanecer em contacto com a linha central.



5 Visualizações 23/03/2020