O teu país

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod


Frederico Branco

Escola

Escola EB 2/3 da Costa da Caparica

A Madeira

Todos os trabalhos publicados foram gentilmente enviados por estudantes – se também quiseres contribuir para apoiar o nosso portal faz como o(a) Frederico Branco e envia também os teus trabalhos, resumos e apontamentos para o nosso mail: geral@notapositiva.com.

Resumo do trabalho

Trabalho realizado no âmbito da Disciplina de Educação Tecnológica, que tem como principal objectivo conhecer e dar a conhecer as madeiras.


INTRODUÇÃO

Desde o aparecimento do homem sobre a terra até aos nossos dias, a técnica e a arte de trabalhar a madeira tem evoluído desde o processo manual e primitivo, até à vasta e engenhosa indústria moderna. A madeira esteve sempre  ao alcance do homem desde os tempos mais antigos. Foi um dos primeiros materiais utilizados pelo homem; para sua defesa (como arma ou fazendo parte dela) para se aquecer, cozinhar, para a iluminação, nos primeiros abrigos, nas primeiras jangadas e barcos...

A evolução traz novos materiais, mas a madeira e seus derivados continuam a ser muito usados.

O trabalho que vou realizar tem como tema “a madeira”. Nele vou fazer uma abordagem à origem e tipos de madeira, com se faz a sua extracção e quais as suas propriedades. Vou ainda falar nas técnicas de transformação da madeira, os instrumentos utilizados e as suas aplicações.

A madeira é em grande parte responsável pelo avanço da Civilização, sobretudo, porque é através dela que se obtém o papel.

A MADEIRA

Origem

A madeira é uma matéria sólida e dura, derivada das árvores, conhecida e utilizada desde a pré-história. Grandes extensões de terra cobertas de árvores constituem as florestas, que fornecem a madeira necessárias à indústria. É um excelente material de construção.

As árvores que fornecem a madeira dividem-se em dois grandes grupos:

  • Resinosas ou coníferas - possuem resina e os frutos são em forma de cone ou pinha e geralmente a sua folhagem é persistente.
  • Folhosas ou de folha caduca – perdem a folhagem periodicamente.

Tipos de madeira

  • Pinho – tem cor amarelo-clara, é moderadamente dura e pesada, é fácil de trabalhar e aplica-se na fabricação de mobiliário, construção civil, fabrico de aglomerados e carpintaria.
  • Carvalho – tem cor acastanhada, é dura e moderadamente pesada, é fácil de trabalhar e muito durável. É utilizada na marcenaria, tanoaria e fabrico de tacos.
  • Eucalipto – de cor clara ou castanho rosado, é dura e pesada, fácil de trabalhar mas empena e fende facilmente. É utilizada no fabrico da pasta de papel, marcenaria e construção civil.
  • Castanho – de cor castanho-clara, é dura e leve, muito durável e fácil de trabalhar. Utiliza-se na marcenaria, carpintaria, tanoaria e construção civil.
  • Plátano – de cor clara, é moderadamente dura e pesada, é fácil de trabalhar, apresenta boa apresentação no âmbito da decoração, mas empena quando não está bem seca. É utilizada na marcenaria.
  • Faia – é clara ou castanho rosada, é dura e moderadamente pesada, tem boa conservação. Utiliza-se em revestimentos interiores, material de escritório e mobiliário.
  • Sobreiro – de cor avermelhada, é muito dura e pesada, tem tendência para fender e aplica-se na marcenaria, carpintaria e construção civil.

Além das madeiras apresentadas existem outras de origem estrangeira, tais como: Mogno, câmbala, mussibi, sucupira e tola branca, pau-rosa, pau-preto, teca, pau-santo, etc.

Extracção

Ao analisarmos o interior da árvore verificamos que é formada pelo cerne, borne e casca, no centro há a medula, pequena coroa central também chamada madeira primária. No corte transversal também verificamos os anéis de crescimento.

O corte do tronco das árvores é feito aproveitando o seu interior de forma a responder aos vários fins a que ela se destina, tábuas, ripas ou barrotes.

O corte das árvores pode ser feito manual ou mecanicamente.

No abate mecânico é usada a moto-serra. Esta máquina é portátil e muito utilizada, pode cortar com facilidade e rapidez troncos com mais de um metro de diâmetro.

Transporte

A melhor solução para o transporte de elevadas toneladas de madeira é o caminho-de-ferro.

Com material exclusivamente afecto a este tipo de transporte a CP Carga reúne todas as condições para fazer chegar a sua mercadoria ao destino indicado de forma segura.

Brevemente está previsto o início de um novo serviço de transporte de madeira entre o Porto de Setúbal e Louriçal / fábrica da Soporcel. Haverão dois comboios diários em cada direcção: - um deles será com Locomotivas 1960 (Bombardier) entre Louriçal e Poceirão e Poceirão e Louriçal.O outro serviço é feito ida e volta com locomotivas da série 5600, directamente entre Louriçal e Praias-Sado.

Os dois comboios serão composições com locomotivas mais 18 vagões.

Propriedades da madeira

As propriedades da madeira dividem-se em físicas, mecânicas e químicas.

Propriedades físicas:

  • Cor – as madeiras apresentam as mais variadas cores. Ex: pinho – amarelo claro
  • Cheiro – as madeiras podem apresentar um cheiro ou perfume característico. Ex: pau-rosa.
  • Grau de humidade – a madeira contém uma percentagem de água que se chama grau ou teor de humidade. Conforme diminui o teor de humidade, também diminuem as suas dimensões.
  • Densidade – As madeiras classificam-se de acordo com a sua densidade, em:
    • pesadas (pau-ferro e ébano)
    • leves (acácia)
    • muito leves (choupo e tília).
  • Peso específico – chama-se peso específico de uma substância ao peso da unidade de volume dessa substância.
  • Durabilidade – resistência que as madeiras apresentam à acção dos organismos destruidores (fungos, bolores, insectos). A durabilidade das madeiras depende do tratamento a que forem sujeitas, do grau de humidade e da aplicação adequada. Ex: o castanho e o carvalho são madeiras muito duráveis.

Propriedades mecânicas:

  • Dureza – é a resistência que a madeira oferece à penetração de um prego ou outros materiais. Ex: - muito duras: ébano e buxo.
    • duras: carvalho e freixo
    • macias: pinho e choupo
    • muito macias: tília e balsa.
  • Resistência à tracção – quando uma peça de madeira sofre forças opostas que tendem a aumentar-lhe o comprimento. Exemplos de boa resistência: carvalho e azinho.
  • Resistência à compressão – quando uma peça de madeira está submetida a um esforço de compreensão, quando sobre ela actuam forças que tendem a diminui-lhe o comprimento. Pouca resistência – tília e balsa.
  • Resistência à flexão – quando sobre uma peça de madeira actuam forças que tendem a encurvá-la. A madeira é muito usada em trabalhos de flexão.
  • Resistência ao choque – capacidade das madeiras resistirem aos choques sem apresentarem roturas. Madeiras com resistência ao choque: freixo, carvalho e faia.
  • Resistência ao corte – uma peça de madeira está sujeita ao corte quando sobre ela actuam duas forças em sentido contrário, que tendem a separar a peça em duas partes. A madeira resiste muito melhor a um esforço de corte perpendicular às fibras, do que paralelo a estas.

Propriedades químicas:

As paredes das células lenhosas são constituídas essencialmente por celulose e lenhina. A celulose é quimicamente mais estável que a lenhina. Estes dois componentes da madeira formam o esqueleto resistente do tecido lenhoso, cabendo à lenhina o papel de um cimento envolvente das cadeias da celulose, aptas para resistirem a esforços mecânicos, mas extremamente sensíveis a flutuações de humidade.

Técnicas de transformação da madeira

A medição será a primeira técnica a executar quando se realiza um trabalho em madeira. Os instrumentos de medição deverão ser usados conforme a tarefa a executar.

Traçar será marcar com rigor a madeira nas zonas a serem trabalhadas

Recortar é efectuar um corte curvo com o auxílio de uma serra de recortes.

Cortar significa separar ou dividir a madeira pelas traçagens feitas. As ferramentas a utilizar são os serrotes.

Furar será trespassar a madeira com o auxílio de um berbequim e de uma broca.

Desbastar e limar consiste em retirar pedaços de madeira utilizando uma plaina ou uma lima.

Pregar será unir peças de madeira através de pregos utilizando um martelo.

Perfis ou formas comerciais

A madeira pode apresentar vários perfis ou formas comerciais, tais como:

  • Pilares e vigas
  • Perfil quadrado
  • Esquadro
  • Tubo redondo
  • Barra
  • Tubo quadrado
  • Perfil em L (cantoneira)
  • Perfil redondo
  • Perfil em T

Instrumentos de trabalho

Na aplicação das diversas técnicas de transformação da madeira, são usadas muitas ferramentas e utensílios na execução de peças e objectos.

  • Ferramentas de desbastar e alisar
    • limatão triangular
    • grosa
    • lima bastarda
    • limatão redondo
    • grosa redonda
    • lima paralela
    • lima quadrada
    • plaina
    • guilherme
    • formão
    • goiva
    • goiva em V
    • escova para limpar limas
  • Ferramentas de furar
    • berbequim eléctrico
    • berbequim manual
    • arco de pua
    • verruma
    • brocas
  • Ferramentas de corte
    • serrote de espada ou universal
    • serrote de ponta
    • serrote de costas
    • serrote de traçar
    • serrote de rodear
    • serrote de ferro
    • serra braçal
    • serrote de cabelo ou ourives
  • Utensílios de medição e traçagem:
    • escala
    • metro articulado
    • fita métrica
    • metro articulado
    • esquadro
    • graminho metro articulado
    • suta
    • compasso de pontas
    • compasso de volta
  • Ferramentas de percussão:
    • martelo de orelhas
    • martelo de pena
    • maço de madeira
  • Ferramentas auxiliares:
    • pedra de afiar
    • esmeril
    • alicates
    • chave de fendas / chave de bocas
    • grampo de esquadria
    • grampo simples
    • chave de bocas
    • chave inglesa

Processos de ligação

Junções em T pregadas, aparafusadas e com agrafos

Nas junções em T pregadas, ao martelar do lado exterior devem-se inclinar os pregos.

Ao martelar por dentro, deve executar-se a técnica alternadamente dos dois lados.

Junção em T sobreposta

Na junção em T sobreposta, os parafusos devem ser introduzidos na diagonal para evitar que a madeira rache.

Na junção em T tipo prateleiras, aparafusa-se a peça de apoio à peça vertical, e seguidamente aparafusa-se a prateleira.

Junção com envaziado

Junções em L

As colas modernas, os parafusos e os pregos permitem a execução de junções de canto muito resistentes.

Aplicações da madeira e seus derivados

A madeira é utilizada como combustível (lenhas) e como matéria prima para as indústrias de celulose e papel, que têm aumentado extraordinariamente de ano para ano.

Existem vários produtos derivados da madeira:

  • Os folheados consistem, basicamente, em folhas de madeira natural, muito finas. Estas folhas são obtidas de toros de madeira de várias espécies, através de máquinas próprias.Estes materiais destinam-se ao fabrico e revestimento de mobiliário e à indústria de contraplacados.
  • Contraplacados são o produto obtido pela colagem de folhas finas de madeira umas sobre as outras.O número de folhas é impar e estas são sobrepostas som a fibra cruzada, sendo em seguida coladas e depois prensadas.Estas placas são mais baratas que a madeira maciça, aplicam-se na fabricação de mobiliário, portas e ainda para forrar tectos e paredes.
  • Os aglomerados de madeira são constituídos por fibras ou partículas de madeira, prensadas juntamente com resina sintética a uma temperatura de cerca de 200º C.As placas de aglomerado podem ser revestidas na sua superfície com folha de madeira. O aglomerado é muito utilizado em móveis, revestimentos de tectos, paredes e divisórias.
  • O cartão prensado (tipo plátex) tem normalmente cor castanha e com espessuras que variam entre 2mm e 4mm. Este material resulta da ligação das fibras celulósicas com resinas sintéticas. É utilizado em revestimentos e tem pouca durabilidade. A madeira também é utilizada na indústria de marcenaria para fabricação de móveis, na carpintaria para construção de diversas estruturas, incluindo navios. A madeira é um dos materiais mais utilizados em arquitectura e engenharia civil.

Técnicas de acabamento

A aplicação de determinadas substâncias com a função de proteger e embelezar a madeira, são designadas por técnicas de acabamento.

  • Raspar – consiste em retirar todas as imperfeições deixadas na madeira.
  • Lixar – consiste em alisar as superfícies da madeira, de modo a restituir a sua cor e textura original. Para lixarmos uma superfície de madeira devemos usar um taco de cortiça ou de madeira. Estes tacos facilitam a aplicação da técnica e tornam a superfície da madeira mais plana.
  • Encerar – consiste em aplicar cera sobre a madeira. Com o auxílio de um pano aplica-se uma camada espessa e com um pano espalhar a cera no sentido dos veios da madeira
  • Envernizar – a aplicação de verniz sobre a madeira é uma técnica que pode ser aplicada a pincel ou com uma boneca. Depois de secar deve-se lixar com uma lixa fina e tornar a dar uma passagem final com verniz.

BIBLIOGRAFIA

  • Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura, Volume12, Lisboa, Editorial Verbo.
  • Manual de Educação Tecnológica, (2007), 7º e 8º anos, Ideias e Projectos, Porto, Porto Editora.
  • Informação recolhida dos sites seguintes:
  • http://www.jcpaiva.net/files/ensino/alunos/20022003/teses/020370017/madeiras/madeiras.htm
  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Madeira
  • http://clientes.netvisao.pt/alme0020/historia_madeiras.htm



30 Visualizações 18/09/2019